13 de março de 2013

Brasão da cidade de Custódia



Em 2006 foi realizado no mês de setembro o I Encontro de Custodienses, evento esse que visa, fazer um reencontro de pessoas que moram fora da cidade e dos que moram na cidade. A idéia de fazer o encontro, foi da custodiense Odete de Andrada Alves, atualmente residente na cidade de Pesqueira. Para celebrar o encontro, dona Odete apresentou na Camara de Vereadores do Município dia 08 de setembro um Brasão para nossa cidade. Brasão é um conjunto de peças, figuras e ornamentos dispostos no campo do escudo ou fora dele, e que representam as armas de uma nação, um soberano, família, corporação ou cidade. Sua apresentação foi contundente, que só não foi aprovada de imediato pela Camara, por que por Lei, não pode ser apresentado um projeto e nele mesmo votado. Mas na semana seguinte ao evento, no dia 15 de setembro de 2006, foi aprovado pelo Poder Legislativo.


BRASÃO DO MUNICÍPIO DE CUSTÓDIA
Escudo esquartelado e interpretado com humildade preciosismo. Fiel à História, Tradição, Heráldica e à Arte em homenagem a essa magnífica cidade.

1º quartel: Paisagem inserida em fundo azul que remete aos primórdios da região onde era tida como TERRA DE PASSAGEM. Nesta localizava-se a Fazenda Santa Cruz e teve sua povoação iniciada em meados do século XVIII.

2º quartel: Fundo azul com iconografia do ostensório ou custódia, receptáculo de amor e justiça. Missionários em comum acordo com os antigos habitantes, batizaram o nome como Custódia, homenageando a proprietária da única hospedaria daquela localidade. Significa a guarda e proteção que encontraram nesse lugar.

3º quartel: Lírio de São José (nosso padroeiro) é sinônimo de brancura e pureza. É relacionado com a árvore da vida plantada ao paraíso. É ele que restitui a vida pura, promessa de imortalidade e salvação.

4º quartel: Campo amarelo escuro, simbolismo de chão escaldado. Em seu centro o Mandacaru, ostentado a força do povo sertanejo que apesar da adversidade da vida permanece altaneiro.

O dourado:
Apresenta-se em contorno que adorna os quartéis o circundeiam todo o escudo. Simboliza, como na Idade Média, a intenção de fazer o bem aos pobres e a defender seus cidadãos, lutando por eles.


O azul-celeste:
Prevalece no contexto visual e significa nobreza, majestade, serenidade. Fomenta seus cidadãos ao trabalho e a produzir os frutos da terra.

Sobre o escudo, um castelo que representa a força e virtual de seu inicial tutor, o coronel Luiz Tenório de Melo. Autoridade que não tomou terras de assalto como simboliza a Heráldica tradicional, mas foi protetor e souber contribuir pioneiramente coma história de sua gente.

Circundando as laterais do escudo, dois ramos louro simbolizando a vitória diária aos rigores da terra. Na base do escudo, uma faixa em amarelo-leve esvoaçaste com a legenda: SAGRADA ACOLHIDA, em azul celeste, que concentra em suas palavras um passado gracioso. Exemplo de companheirismo na acolhida na saga do homem que evolui a cada novo alvorecer acolhendo também a fé do povo sertanejo.

ODETE DE ANDRADA ALVES Pesquisa e Criação
RICARDO HENRIQUE DUQUE DE ALMEIDA Computação gráfica Setembro/2006

Nenhum comentário:

Postar um comentário